Com investimentos de R$ 25,9 milhões, cada apartamento tem 47,8 metros quadrados

A Secretaria do Estado da Habitação, por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), entregou, no dia 20 de março, a 286 famílias do município Ibaté, em São Paulo, as chaves das unidades habitacionais do Conjunto Habitacional “Antônio Moreira”. Por conta da pandemia de coronavírus, a assinatura dos contratos e a entrega das chaves foram realizadas de maneira administrativa, ou seja, sem qualquer tipo de evento ou aglomeração. O atendimento foi realizado, com horários pré-definidos, seguindo a orientação das autoridades sanitárias e do Governo do Estado.

Seguindo um conceito sustentável, o conjunto habitacional é equipado com sistema fotovoltaico de geração de energia. E justamente pela demora no cadastramento das placas junto a concessionária, segundo o diretor de atendimento habitacional da CDHU, Marcelo Hercolin, a entrega atrasou. “Para que a ligação da energia pela CPFL fosse ligada, precisávamos da lista dos mutuários, das pessoas que foram sorteadas, com dois a três meses de antecedência, então, isso demandou muito tempo”, explicou.

Com investimentos de R$ 25,9 milhões, cada apartamento tem 47,8 metros quadrados, dois dormitórios, sala, banheiro e cozinha e já vêm com piso cerâmico e azulejo na cozinha e no banheiro. Vinte e uma unidades foram destinadas aos portadores de deficiência física, quinze a idosos, doze aos profissionais de segurança pública do estado e nove a indivíduos sós.

Ainda segundo a CDHU, o valor das parcelas de financiamento do imóvel não tem juros, seguindo as novas diretrizes da Política Habitacional do Estado de SP, para famílias com renda mensal de até cinco salários mínimos. Nesse modelo, as famílias pagarão praticamente o mesmo valor ao longo dos 30 anos de contrato, que sofrerá apenas a correção monetária calculada pelo IPCA, o índice oficial do IBGE.

Além disso, o valor das parcelas não pode ultrapassar 20% dos rendimentos mensais de cada família com as prestações. No caso dessa entrega, 52% das famílias se enquadram nessas condições. O valor mínimo das prestações é de R$ 209.

Depois de tanta espera, o prefeito José Luiz Parella ressaltou que as famílias puderam realizar o sonho da casa própria. “Anos de idas e vindas, muito desgaste, disposição, mas finalmente chegou o momento esperado “, afirmou Zé Parrella, lamentando o momento de pandemia que o mundo está passando. “Não foi possível dar um abraço em cada munícipe contemplado, mas para parabenizar todos os novos moradores “, finalizou.