Benefícios vão desde economia de até 95% na conta de luz até a valorização do imóvel, que pode chegar a 20%

O sistema de geração de energia solar chegou para ficar. Os consumidores, tanto residencial como comercial, já perceberam as vantagens do sistema, que transforma a irradiação da luz do sol em energia elétrica, uma forma simples, econômica e limpa de gerar energia. Os benefícios vão desde economia de até 95% na conta de luz até a valorização do imóvel que pode chegar a 20%.

Pelos cálculos do especialista em sistema fotovoltaico, Sandro Cubas, um sistema fotovoltaico padrão de 6kWp pode gerar uma economia aproximada de R$ 8,3 mil por ano.

O especialista ainda destaca que um sistema de 6kWp vai evitar a emissão de gases poluentes durante toda a sua vida útil, que gira em torno de 25 anos. “É como você plantar árvores em dez campos de futebol. Isso é ganho em qualidade de vida para toda a sociedade, é uma energia totalmente limpa e inesgotável”, afirmou.

Lembrando que o retorno médio de investimento de um sistema padrão é de quatro anos e o valor da parcela de financiamento do equipamento assemelha-se ao valor da tarifa de energia elétrica que o consumidor deixará de pagar com a autoprodução de energia.

Na prática, a energia gerada é injetada na rede da distribuidora local que compensa essa energia gerada mensalmente. O especialista ainda afirma que durante o dia, os painéis solares geram a energia que pode ser usada para abastecer qualquer aparelho elétrico.

À noite, quando o sistema não está gerando energia, o consumidor estará usando eletricidade da rede. Nesses momentos, os créditos são usados para abater o gasto. No final do mês, a conta de luz será o resultado da diferença entre a energia produzida e a energia consumida. “Esse sistema é o que mais cresce no mundo. A instalação de painéis solares reduz a dependência dos combustíveis fósseis como o petróleo”, completa.

Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apontam que a instalação de placas solares para a geração de energia elétrica triplicou no Brasil em 2019, em relação ao ano anterior. Em 2019, foram 95,3 mil instalações, enquanto em 2018, o número era de 30 mil. No total funcionam no país 145,3 mil estruturas que produzem a própria energia por meio da GD (geração distribuída) fotovoltaica.

Ainda segundo o levantamento da Aneel, essa quantidade refere-se somente à produção local de energia solar (quando a geração é próxima ao lugar de consumo). Somando toda a GD, incluindo a produção compartilhada e remota, o total de instalações feitas só no ano passado chega a 113,2 mil. No acumulado desde 2012, o número de instalações de sistemas fotovoltaicos totaliza 171 mil.