Telefones: (65) 9 8126-4082

Bahia lidera a geração de energia solar, com crescimento de 88% na produção em relação ao ano passado; sudeste do País também apresenta salto de crescimento

A geração de grandes usinas de energia solar cresceu 86,6% no primeiro semestre de 2019. A produção foi de 485 MW médios em comparação aos 260 MW médios entregues ao Sistema Interligado Nacional – SIN no ano passado neste mesmo período. As informações são dos dados consolidados do boletim InfoMercado Mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE.

Na Bahia, líder na geração de energia solar no País, o aumento da produção foi de 88%, saindo de 92 MW médios no primeiro semestre de 2018 para a atual produção de 173 MW médios. O Sudeste teve um grande salto no período, a exemplo de Minas Gerais, crescendo 94,9% a sua geração de energia solar e, São Paulo, 131%. Ceará, Paraíba e Tocantins começaram a produzir energia solar em 2019.

A Bahia também ampliou a sua capacidade instalada de 444 MW para 652 MW, crescendo em 46,9%. Destaca-se também Pernambuco com o aumento de 290%, Minas Gerais com 62,2% e São Paulo com 45,7%.

Outros estados que também tiveram um aumento vertiginoso em relação à capacidade instalada foram o Ceará, que saltou de apenas 1MW em 2018 para 214 MW; a Paraíba, de 27MW para 214 MW, e o Tocantins, de zero para 5 MW.

Em 2019, a CCEE contabilizou 86 usinas de energia solar fotovoltaica em operação comercial, representando um crescimento de 56,4% ante às 55 usinas existentes no primeiro semestre de 2018.

A energia solar fotovoltaica alcançou recentemente um recorde histórico no Nordeste do País. As usinas fotovoltaicas da região tiveram um pico de produção da ordem de 94% no fator de capacidade instantâneo, suficientes para abastecer 10,3% de toda a demanda por eletricidade nos estados nordestinos.

Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), os estados nordestinos possuem 1,2 gigawatt (GW) de capacidade instalada de geração solar fotovoltaica e a e máxima diária chegou a 1,13 GW, com o pico de produção registrado no dia 25 de setembro deste ano, às 11h57.

De acordo com a entidade, o Brasil possui 2,2 GW de potência instalada operacional em usinas solares fotovoltaicas, o equivalente a 1,3% da matriz elétrica do País. Atualmente, ocupa a posição de 7ª maior fonte do Brasil, à frente da nuclear, por exemplo, com 1,9 GW (1,1%) provenientes das usinas de Angra I e Angra II, localizadas no Rio de Janeiro.

As usinas solares fotovoltaicas de grande porte operam em nove estados nas regiões Nordeste, além do Sudeste e Norte do País, com destaque para Bahia, Minas Gerais e Piauí.

São 73 projetos de geração centralizada solar fotovoltaica em operação, contratados por meio de leilões de energia elétrica do Governo Federal. Segundo a ABSOLAR, os investimentos acumulados no Brasil neste segmento são de aproximadamente R$ 23,2 bilhões.

Fechar Menu

Solicite um orçamento

Em até 24horas retornaremos.

Ou chame pelo Whatsapp

Atendimento pelo Whatsapp!