Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), fonte totalizou 692 megawatts (MW) médios na primeira quinzena do mês, um avanço de 53,3% em relação ao mesmo período de 2019 

Por Ricardo Casarin

A fonte solar fotovoltaica totalizou 692 megawatts (MW) médios na primeira quinzena de abril, um avanço de 53,3% em relação ao mesmo período de 2019. Os dados se referem às grandes usinas e fazendas solares e foram divulgados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

De acordo com o gerente da área de segurança de mercado e informações da CCEE, Carlos Dornellas, o avanço é resultado da recente ampliação da capacidade instalada das duas fontes, com a entrada de novas usinas em operação. A fonte eólica também apresentou avanço na mesma base de comparação (23%), registrando 3.928 MW médios.

O levantamento aponta uma retração de 12,1% na produção de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN), caindo de 67.404 MW médios no ano passado para 59.267 MW médios em 2020. “A queda reflete os efeitos das medidas de contenção ao novo coronavírus sobre a demanda de energia, aprofundados pelo feriado da Sexta-Feira Santa em abril deste ano”, aponta Dornellas. Registraram queda no período a geração hidráulica (14,4%), termelétrica (13,8%) e autoprodutores de energia (9,5%)

O consumo de energia no SIN na quinzena teve redução de 13,6% na comparação anual, totalizando 55.453 MW médios. No ambiente de contratação regulada (CR) a queda na demanda foi de 12%, com 39.578 MW médios. No ambiente de contratação livre (ACL) a retração foi de 17,1%, com 15.875 MW médios.

Ainda de acordo com os dados da CCEE, a maior parte dos ramos de atividade econômica apresentaram quedas no consumo de energia no mercado livre, com destaque para as retrações no setor de veículos (73,9%), têxteis (54,4%) bebidas (45,7%) e serviços (41,2%).