Projeto de Lei nº 039/2020, para a instalação de sistemas de minigeração fotovoltaica, foi aprovado por unanimidade na câmara dos vereadores 

Mais duas escolas de Tangará da Serra, em Mato Grosso, serão abastecidas por energia solar. A Câmara Municipal de Tangará da Serra aprovou por unanimidade, no final de maio, o projeto de Lei nº 039/2020, de autoria do Executivo Municipal, que viabiliza a contratação de empresa especializada para o fornecimento e instalação de sistemas de minigeração de energia solar fotovoltaica ON-DRID nas duas escolas municipais. Orçada em R$ 960 mil, a usina terá de produzir uma média total anual de no mínimo 172.000 Kwh/mês, para atender o Centro Municipal de Ensino Antenor Soares e Centro Municipal de Ensino José Nodari.

Segundo o Executivo, o objetivo da contratação é reduzir os custos significativos com energia elétrica fornecida pela concessionária devido ao grande número de unidades consumidoras que esta secretaria possui em seu orçamento. “Com o objetivo de reduzir os custos com o consumo de energia elétrica, a secretaria buscou, por meio de geração de energia fotovoltaica, contribuir com o meio ambiente e gerar energia limpa”, justificou o chefe do Executivo, Fábio Junqueira, no projeto.

Ele acrescenta que, em novembro do ano passado, a Câmara já havia aprovado projeto semelhante para instalação de sistemas de energia solar em outras escolas. O objetivo da secretaria de educação do município é beneficiar 20 Centros Municipais de Ensino com a instalação do sistema de energia solar, com a implementação de 11 usinas no município para atender em média 70% a 80% do custo da energia que todas as escolas municipais.

O secretário de Educação, Gilmar Utzig, afirmou que o município é o primeiro de Mato Grosso a implantar o sistema de energia solar nas escolas municipais. “O investimento total previsto é de R$ 5,3 milhões”, conclui.

Durante esse momento de crise provocada pela pandemia Covid-19, a tecnologia solar fotovoltaica é uma grande aliada por trazer economia direta ao bolso dos brasileiros, aliviando o orçamento das empresas e dos governos e os protegem contra os aumentos das tarifas no País.

Um sistema fotovoltaico bem dimensionado pode reduzir os gastos com eletricidade dos consumidores em até 95%. Com essa economia gerada, o usuário pode destinar os recursos para outras necessidades essenciais, como alimentação, saúde e educação. No caso do setor público, o valor pode ser destinado para melhorias na educação.